5 de dez de 2009

Grupo Pão de Açucar funde com Casas Bahia

"Novo grupo vai faturar no país mais que Wal-Mart e Carrefour juntos.
Estratégia, por enquanto, é manter marcas Casas Bahia e Ponto Frio" (g1.com/noticias)



Negociação
Segundo Pércio Souza, que coordenou as negociações para a operação, as conversas entre as duas empresas tiveram início há cerca de 60 dias, quando Abílio Diniz teria procurado Michel Klein.
O acerto entre Pão de Açúcar e Casas Bahia para a criação de um conglomerado com faturamento anualizado de R$ 40 bilhões será organizado com a criação de novas sociedades entre empresas controladas pelo Grupo Pão de Açúcar e a empresa fundada por Samuel Klein. “Esse é um negócio de ganha, ganha, ganha”, disse Abílio Diniz, presidente do Conselho de Administração do Grupo Pão de Açúcar.
Para realizar a transação, será formada uma nova empresa, que vai concentrar as Casas Bahia, o Extra Eletro e o Ponto Frio - o faturamento dessa nova companhia foi calculado em R$ 18 bilhões. O valor do negócio foi estimado em R$ 4 bilhões, equivalente ao patrimônio aproximado da nova empresa. A expectativa é de que o negócio gere sinergias de R$ 2 bilhões.
 A decisão ainda precisa ser aprovada em assembleia dos acionistas e também pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). 
 A família Klein ficará com 49%  das ações ordinárias dessa nova empresa e o grupo Pão de Açúcar terá 51%. Além das ações, a família ficará com o equivalente a cerca de R$ 4 bilhões. Esse valor inclui as lojas que formam o patrimônio fisico das Casas Bahia, 75% da Bartira (fábrica de móveis) e recebíveis na ordem de R$ 1 bilhão. Além disso, os Klein receberão, da nova empresa, cerca de R$ 130 milhões anuais em aluguel das lojas.
A nova empresa - que deterá cerca de 20% do mercado brasileiro do varejo de bens duráveis - será comandada por Raphael Klein, filho de Michel Klein, que será o presidente do Conselho de Administração. Esse conselho, por sua vez, terá cinco representantes do Grupo Pão de Açúcar e quatro das Casas Bahia.
As operações de comércio eletrônico das empresas também serão unidas em uma nova empresa, chamada Nova PontoCom. Ela vai unir os negócios das Casas Bahia, Grupo Pão de Açúcar e Extra na internet. Entre as ações dessa nova empresa de web, 83% das ações ficarão com os donos do Pão de Açúcar e 17% para Casas Bahia.
O acordo de fusão entre o grupo Pão de Açúcar e a Casas Bahia, anunciado nesta sexta-feira (5), precisa de aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para se tornar realidade. O órgão é o responsável no Brasil por garantir a concorrência entre as empresas no Brasil.

Fontes: G1, R7





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caso não possua uma conta google ou hotmail, você pode optar pelo perfil de nome e url (colocando o endereço do seu site/blog ou seu endereço de email, mas sem o @).